03/10/2009

Professores avaliam como fácil prova do Enem que vazou

da Folha Online

Os candidatos que realizariam neste fim de semana a prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) não encontrariam grandes dificuldades na resolução da maioria das questões, segundo avaliação de professores ouvidos nesta sexta-feira pela Folha Online. A prova foi adiada após o conteúdo das questões vazar, mas a nova data do exame ainda não foi definida.

Veja as questões e gabarito da prova anulada

Reformulado neste ano, o Enem será a única forma de seleção em 24 das 55 universidades federais. O exame é usado por federais também para substituir a primeira fase do vestibular, para compor a nota e nas vagas que sobrarem.

Para o professor Nicolau Marmo, coordenador geral do Sistema Anglo de Ensino, a prova anulada seria considerada fácil para os alunos que se inscreveram no Enem almejando uma vaga nas universidades federais. Segundo ele, a prova é "adequada" para avaliar os alunos do ensino médio --o que costumava ser o principal objetivo do Enem--, mas inadequada quando o objetivo é selecionar candidatos para universidades federais.

"Para as pessoas que estão sendo selecionadas para universidades [federais] as provas são fáceis em todas as frentes", avaliou.

De acordo com o professor, apenas 30% das perguntas eram difíceis. "Mas se fossem colocadas em uma prova exclusivamente para selecionar alunos para [as universidades] federais, seriam questões apenas medianas", afirmou.

Vera Lúcia da Costa Antunes, coordenadora do Colégio e Curso Objetivo, concorda com o colega em partes, mas ressalva que os estudantes encontrariam um pouco mais de dificuldade nas questões de geografia e física.

Mesmo assim, diz ela, "nada de muito difícil. São questões medianas, o que era esperado quando se trata de um exame aplicado no Brasil inteiro", disse.

O que causou estranhamento, segundo a professora, foi o fato de a prova de ciências humanas não ter exigido tanto acompanhamento de notícias diárias, o que costuma ser pedido na maioria dos vestibulares. "Só estranhamos na prova de humanidades que não caiu nada de mais moderno, nada de maior destaque na mídia", disse.

Problemas

Segundo os professores do Objetivo, havia três questões com problemas na prova, sendo duas de língua portuguesa e uma de matemática.

De acordo Giuseppe Nobilioni, coordenador de matemática do curso, a questão de número 79 não apresentava solução "O problema é que a resposta que a gente encontra é diferente. Eles deram como resposta '1/4', quando a resposta correta é '3/8' [opção não apresentada na questão]", disse.

Já em relação à prova de língua portuguesa, enquanto a questão 37 apresentava duas respostas corretas, a questão 38 não tinha solução, informou o professor Francisco Achcar, coordenador de português do Objetivo.

Fraude

Neste ano, mais de 4,1 milhões de candidatos se inscreveram no Enem. Segundo o ministro Fernando Haddad (Educação), o MEC já possui uma segunda prova do Enem para substituir o exame que vazou, mas o material ainda precisa ser impresso. A expectativa é que a prova aconteça dentro de 30 a 45 dias.

O vazamento da prova foi denunciado pelo jornal "O Estado de S.Paulo". Segundo a reportagem, o jornal foi procurado por dois homens que informaram ter recebido o material na segunda-feira (28) de um funcionário do Inep, órgão ligado ao MEC. Eles apresentaram a prova e pediram o pagamento de R$ 500 mil por ela. A Polícia Federal investiga o caso